Sobre me sentir livre…

Há pouco tempo mudei de trabalho, casa, cidade, estado… Enfim, uma mudança levou a outra e todas trouxeram suas experiências. Durante um período, na fase de transição, precisei viajar com frequência entre as cidades velha e nova. Felizmente, não precisei fazer essas viagens sozinha, sempre tinha companhia e revezava a direção. Hora conversava, hora cochilava, várias viagens de carro normais, sem novidades.

As viagens duram, em média, 4 horas. A rodovia não é muito movimentada mas bastante sinuosa.

Certa ocasião precisei fazer uma dessas viagens sozinha, nunca tinha feito um trajeto assim sem companhia. Nunca houve necessidade de dirigir por tanto tempo. Enfim, muitas frases do tipo ” eu nunca”.
O início do trajeto foi normal, segui a rotina. Fiz uma prece, ouvi músicas da estação de rádio, mais tarde cantei com as músicas do CD. E conforme a viagem ia passando, conforme passavam as curvas, os pinheiros e os plátanos com folhas alaranjadas um sentimento de liberdade foi tomando conta de mim. Me senti tão independente, tão empoderada como nunca.

Eu sentia que era capaz de definir, sozinha, meu destino. Destino não só da viagem, mas aquele que está ligado à vida. Parece poesia ruim e um tanto clichê, mas nunca tinha me sentido assim sobre mim mesma. Perceber isso me deixou tão feliz quanto triste. A felicidade óbvia associada ao empoderamento, e a tristeza por nunca ter me sentido assim antes. 

Então, deixo como sugestão de terapia: Viaje só, dirija pra longe e aproveite o percurso!

Música pra quem tem saudades de casa…

Fique à vontade para apertar o play, e entrar no clima do texto…

Ser gente grande é difícil, e tem dias em que eu fico querendo voltar pra casa. Sabe aquela sensação de que se você voltar tudo vai ficar bem? Não porque alguém vai resolver os meus problemas. Menor ainda é a chance de deixar de ser adulta.

Então qual seria o propósito de voltar? Ah meu amigo, as pessoas. Eu sei que nem todos estão lá, mas foi lá que eu passei tardes com a vizinha em cima de árvores. Ou correndo pelas ruas. Foi lá que eu pulei tábua com um amigo. É lá que eu encontro meus primos em dias de festa! Lá tem aquele cheiro de casa… 

E basta eu virar a esquina pra voltar no tempo. Vejo crianças de bicicleta, enquanto outras batem na bolinha azul com o taco. Uma barulheira gostosa, que enchia a rua de vida!

Toda essa nostalgia começou com um vídeo de música no YouTube. A internet estava agitada com as músicas novas do Ed Sheeran. Até aí tudo bem… Mas quando ouvi Castle on the Hill, meu inglês precário identificou algumas palavras, e por acaso entendi algumas frases. 

Castle on the Hill fala sobre lembranças. Conta histórias de infância e adolescência. Quem me conhece sabe o quanto eu amo ouvir essas histórias, as vezes peço para que contem novamente. 

Esta música está no repeat ha alguns dias por aqui. Não só porque é muito boa, mas porque me identifiquei. Fala sobre minha personalidade sabe? 

E você? O que tem ouvido ultimamente? Qual a música que está tocando muito por aí? Deixa sua sugestão de música pra mim nos comentários ou, se preferir, uma história divertida de infância!

Bjbjbjbjbj

Sobre gente que reclama muito!

Faz um tempo que venho me treinando e me programando pra ser uma pessoa menos reclamona! Tenho tentado evitar pensamentos negativos e ser uma pessoa mais positiva.

Sou uma daquelas pessoas extremamente ansiosas e que tem pensamentos repetitivos, essa pode ser a receita do fracasso, afinal, quando uma coisa dá errado eu fico muito tensa, e não consigo parar de pensar à respeito! Então eu tive um insight… Se quanto mais eu penso em coisas ruins ou que deram errado mais triste eu fico, o contrário também deve funcionar?! Não?!!

Nesse momento decidi tentar! Digo com toda propriedade do mundo que não tem sido fácil, ainda tenho meus dias ruins… Ainda tem dias que eu tenho vontade de matar alguém, ou me esconder em baixo do cobertor no escuro e chorar de uma maneira bem dramática e exagerada! Às vezes não tenho forças e me permito! Mas só por um dia… Não mais que isso…

Depois de começar a me treinar, manter o máximo de pensamentos positivos na cabeça! Manter a energia boa e leve… O astral bem alto e tudo mais… Comecei a perceber o quanto a energia negativa de outras pessoas era capaz de me afetar!

Percebi que quando alguém despejava uma tonelada de reclamações nos meus ouvidos meu astral baixava na hora! Sou dessas que se envolve na história dos outros com tal intensidade que acabo sentindo a frustração também… Não tenho maturidade para ouvir sem me envolver… Acabava sempre agregando o problema dos outros aos meus e me tornando uma pessoa mais ranzinza do que gostaria!

Dadas todas as minhas constatações, acredito na utilidade de compartilhar as vivências que esse treinamento tem me causado! A quantidade de dias na bad diminuiu significativamente. Tenho conseguido ver com mais clareza os problemas que enfrento, e encontrar neles coisas positivas e uma solução mais rápida. Afinal, enquanto estava sofrendo e me martirizando, não conseguia pensar claramente e encontrar uma forma de resolvê-los!

Não aboli completamente a reclamação da minha vida, nem estou completamente imune às reclamações dos outros! Mas pensei em produzir um material, divertido, que inspirasse outras pessoas a se treinarem também!

Eu e Lelé Figueiredo fizemos uma parceria onde escrevemos um roteiro e gravamos o vídeo que tem o mesmo título deste post. Já está lá no canal há alguns dias, mas achei que merecia um post aqui no blog também! Espero que aproveitem e se divirtam!

Me diz aí o que achou do vídeo… Ficou inspirado a se treinar e ser uma pessoa mais positiva? Espero que sim…

Conta tudo aqui nos comentários que vou amar saber…

Bjbjbjbjbjbj

Estatuto dos Homosapiens!

Como muitas outras pessoas do mundo, boa parte das notícias importantes chegam até mim através do Facebook. Mas o post de hoje está relacionado à uma notícia que recebi com extremo desagrado. Há alguns dias me deparei com um post do portal Catraca Livre na minha time line. Pois bem, o título chamou minha atenção e decidi ler!

Comissão da Câmara aprova Estatuto da Família e exclui casais homoafetivos

Para que vocês entendam melhor do que estou falando, clique aqui para ler o artigo do Catraca.

O artigo relata a aprovação de um texto intitulado Estatuto da Família, o qual intui preservar a família tradicional (WTF?!) e protegê-la. However De qualquer maneira, achei importante ir atrás do texto aprovado, por 17 votos a 5, na Câmara para entender o que estava sendo aceito pelos nossos representantes, e assim, poder expressar minha opinião a respeito.

Estatuto dos Homosapiens

Registrei minha completa indignação com o assunto em vídeo. Não imaginei que encontraria tanta besteira em um texto escrito por um Deputado, e fiquei muito louca abismada com o que li. Pra quem se interessar pela leitura, clique aqui e confira.

Confesso que fiquei um pouco insegura em postar o vídeo, durante a gravação já havia desistido dele. Mas depois, decidi que talvez, algumas pessoas pudessem entender melhor a proposta absurda, se explicada de um ponto de vista surtado diferente.

O resultado do vídeo você pode conferir aqui:

PS: O texto foi aprovado no dia 24 de setembro de 2015, gravei o vídeo no dia seguinte (25/09) e postei no YouTube no dia 26 (decorrido dois dias da aprovação).

Não acredito que o referido projeto vá passar pelo Senado com aprovação, seria uma regressão absurda. Uma atitude abominável assim seria amplamente divulgada e o marketing negativo nunca é bem-vindo. Mas minha indignação permanece, afinal, é triste saber que há representantes políticos que tem uma cabeça tão pequena!

E você? O que está achando disso tudo? Me diz aqui…

Bjbjbjbj

5 Coisas que ninguém nunca fala sobre a Importância de Estudar – por Hellen Czekster

Eu não consigo lembrar, por mais que eu tente, quando foi a primeira vez que ouvi alguém me dizer algo do tipo:
– Estuda menina… Tem que estudar pra ser alguém no futuro!
– A vida é muito difícil pra quem não estudou!
– Você precisa de um diploma pra ser alguém, e ele não vem de brinde no pacote de salgadinho!
Não lembro sequer quem foi a primeira pessoa a me fazer um discurso do gênero…
Mesmo hoje – com quase 27 anos, graduada e pós-graduada – ainda escuto coisas desse tipo!

keep-calm-estudar-vale-a-penaImagem: http://www.eeepmariacelia.com/

Agora vem a pior parte… Já me flagrei fazendo esse tipo de discurso para alguns indivíduos em algumas situações!
Percebi, no fim das contas, que esse discurso estava impregnado no meu cérebro! Essas ideias foram sendo plantadas em mim, antes mesmo que eu pudesse me manifestar com mais que um gugu dadá!
Agora você pode estar pensando algo do tipo:
– Quem te falou isso só queria o seu bem!
– Com certeza essa é uma prova de amor incrível!
– Eu concordo, afinal, como dizem por aí: A caneta é mais leve que a pá!
PÁRA PÁRA PÁRA PÁRA
Antes de refletir sobre a CANETA e a PÁ, vou listar algumas das coisas que ninguém me falou sobre o assunto!

1 – ESTUDAR MUITO NÃO ESTÁ NEM PERTO DE SER SUFICIENTE

É exatamente isso que você leu! NEM PERTO!
Antes que alguém pense que estou fazendo apologia à preguiça, quero deixar claro que este texto não é um incentivo àqueles que pensam em parar de estudar! Pelo contrário, quero mostrar que ATÉ ESTUDANDO a vida não é um mar de rosas… Não quero desincentivar quem está no caminho certo. Tenho a grande convicção de que sem estudar poderia ser muito pior! Agora voltemos ao objetivo do texto….
Quantas e quantas vezes ouvi alguém dizer que se eu estudasse muito, com certeza, teria um futuro – brilhante, grandioso, feliz, de sucesso – pela frente!
Eu vou à escola/colégio/faculdade há mais de 20 anos. Eu ESTUDO há mais de 10 anos. E hoje sei a diferença entre fazer as atividades escolares e estudar, por isso sei que estudo há pouco tempo. Mas o texto não é sobre isso… Enfim, ninguém me falou que ser estudante não é profissão! Que não traz sustento – e quando eu falo de sustento me refiro a dinheiro mesmo – nem estabilidade. Ninguém me disse que, por melhor estudante que eu fosse, isso não faria de mim nem meia profissional!
Talvez tenha sido só comigo, mas o fato de crescer ouvindo que se estudasse estava com o futuro garantido, me fez acreditar que estudando… O emprego dos sonhos viria… A estabilidade emocional e financeira seriam consequência deste emprego! Meu saldo no banco no dia 27, aos 27 anos, seria maior que $0,27 dinheiros! hahahaha
Foi muita inocência da minha parte acreditar em tudo isso! Criei expectativas demais, e isso causou frustrações…
Estudar é – pode até ser – importante! Mas não é suficiente! Se especializar demais antes de saber o que você realmente quer pode ser um grande erro!
Hoje acredito que o sucesso depende de dois fatores, CONHECIMENTO e EXPERIÊNCIA! Fiquem à vontade para me convencer do contrário, mas estudar se refere ao primeiro fator – só ao primeiro!!!! – e eu sou tão tapada que descobri isso aos 27 hahaha!
(Entorte um pouco a boca e faça uma voz muito fina, cheia de agudos e enjoadinha pra ler a frase a seguir)
– Ai Hellen, mas eu fiz estágios na faculdade, isso me trouxe muita experiência!
(Agora me imagine te olhando com a maior cara de paisagem…)
– Teu c$%& burro!
Sabe quem tinha experiência?! Minha avó que nunca estudou e que aos 19 anos tinha trabalhado mais que eu vou trabalhar durante a vida inteira!
Sabe quem mais? Meu tio que está perto dos 50… Deve trabalhar há uns 35 anos e ter 25 anos de experiência! Sabe o que ele fez nos outros 10 anos? Aprendeu a trabalhar… Teve que deixar a caneta de lado e usar a pá – não literalmente.

Estudar muito não te faz profissionalImagem: http://www.esportenoseua.com/

E isso me leva à segunda coisa que ninguém me disse sobre a importância de estudar:

2 – TER UM DIPLOMA NÃO FAZ DE VOCÊ UM PROFISSIONAL

Acabou de sair da faculdade? Não conheci um único recém formado que não achasse que podia  – mudar o mundo – fazer melhor que os profissionais atuantes. Sinto muito em ter que ser eu a te contar isso, mas salvo algumas raras exceções, você vai penar muito ainda para se tornar um profissional de verdade!
Talvez com – muita sorte – muito trabalho e poucas horas de sono, depois de muito tempo, você seja um profissional bem sucedido e reconhecido…
PS: E nesse dia vão te chamar de sortudo hahahahaha ignorando todo seu esforço para alcançar o que conseguiu e transferindo todo o mérito da sua conta para o trevo de quatro folhas ou o pé de coelho! Se for alguém um pouco mais sensato, vai dizer que você é iluminado por Deus, e que JC (Jesus Cristo pra quem não sabe) te deu de presente sem que você precisasse fazer nada além de orações! Não me julguem, mas o mérito profissional não virá como um milagre (orações podem te dar força quando desanimar, mas não vão te dar o salário dos sonhos)…

Ficar rico pra não estudarImagem: http://geradormemes.com/

E isso me leva à outra coisa que ninguém me disse:

3 – NÃO É PORQUE ESTUDOU MUITO QUE VOCÊ TERÁ AOS 25, TUDO QUE IMAGINOU AOS 17

Eu tinha certeza de que, aos 25, teria minha casa própria, carro, emprego (talvez meu próprio negócio, multimilionário, super bem sucedido e famoso no mundo, prestes a me tornar a dona da principal concorrente da Coca-Cola?!)… Sabe o que aconteceu?! Já passei dos 25, me formei há 5 anos e estou tentando ser uma profissional decente! Comecei a entender que não vou conseguir – mudar o mundo – fazer melhor que os profissionais atuantes, pois, se eu discordar do meu chefe, tentar mostrar pra ele uma forma melhor de fazer (por mais educada e diplomática que eu seja ao fazer a colocação) eu vou ser demitida! Eu já não tenho tudo que imaginei aos 17, se eu continuar me comportar assim, não vou realizar, sequer, os sonhos adaptados dos 25!
A maior parte das pessoas que me falaram pra estudar muito viveram uma geração e época diferentes da minha, porém, a receita do sucesso mudou muito ao longo dos anos. Fazer exatamente o que eles “viram ou fizeram’ funcionar não indica um resultado semelhante, não se trata de uma ciência exata.
Antes de escrever esse post conversei com algumas pessoas que considero bem sucedidas e perguntei sobre como foi conseguir seu primeiro emprego. Nessa conversa descobri outra coisa que ninguém havia me contado sobre a importância de estudar.

como_ficar_ricoImagem: http://ocriadordarealidade.com.br/

4 – O MUNDO PROFISSIONAL QUE VOCÊ VAI ENCONTRAR É COMPLETAMENTE DIFERENTE DO QUE FOI HÁ UMA GERAÇÃO

As pessoas de que falei, tem hoje em torno de 50 anos. Não estou generalizando mas vou descrever aqui, em partes, a história que ouvi. Há pouco mais de trinta anos essas pessoas estavam concluindo o ensino médio, o que era uma raridade para a época. Em um dos casos relatados as pessoas com essa formação já podiam ESCOLHER um entre vários empregos disponíveis, na época. Os poucos que seguiam adiante com os estudos, e faziam uma graduação, eram encontrados pelo emprego! Novamente não estou generalizando, mas foi exatamente isso que ouvi. E em casos especiais em que o sujeito fez mestrado e doutorado, ele decidia o que fazer. Qual empresa trabalhar ou que tipo de carreira seguir. No mundo de hoje, com o fácil acesso às universidades, o ensino médio se equivale a saber ler e escrever, se comparado à geração a que me referi aqui. Muitos dos graduados, atualmente, não encontram colocação em sua área de formação. O fato de ter mestrado ou doutorado, não significa que o problema será resolvido.
Imagine a situação, um doutor vai até uma empresa e é entrevistado por um diretor, mais velho, experiente, que fez “apenas” graduação. A primeira coisa a se pensar é, na posição do entrevistador, meu cargo está ameaçado por um sujeito mais jovem e com formação superior? Outra coisa a se pensar é, quanto esse profissional, com tanto conhecimento, vai custar para a empresa se comparado a outro com formação inferior?

Chega de estudarImagem: http://hidekidrawmylife.blogspot.com.br/

Você deve estar pensando agora que eu sou a “profissional” mais frustrada que já existiu… hahahaha
É neste momento que lhe apresento a ultima coisa que descobri sobre a importância de estudar muito:

5 – VIVA BEM COM O QUE SE TEM

Não é porque sou graduada ou mestre que não vou aceitar um emprego que exige “formação inferior” à minha… O mundo não está parado, ele gira literalmente. Talvez seja exatamente nesta colocação “indesejada” que meu próximo empregador vai me encontrar! Talvez seja este emprego que vai trazer a experiência necessária para alcançar o trabalho dos sonhos, mesmo que aparente não ter muito a ver, toda experiência é válida! Cada experiência nova me possibilita desenvolver novas habilidades! Hoje eu não tenho a renda que sonhei aos 17, mas consigo me sustentar! Veja que maravilha!!! Esse tempo no emprego “que apareceu” não é perdido, continuo fazendo planos e estudando, me preparando para ser uma profissional melhor. O reconhecimento às vezes demora, às vezes, parece vir no casco de uma tartaruga manca… Mas ainda acredito que virá! Se reconcilie com o seu emprego e salário, um funcionário/profissional amargurado não vai avançar nem um milímetro! Acredite…

A caneta é mais leve que a pá Imagem: http://geradormemes.com/

Por isso, retomando a frase: A caneta é mais leve que a pá!
Isso é literalmente verdade. Mas não significa que vamos poder passar o resto da vida com a caneta na mão! É necessária muita pá, muita caneta e pouco travesseiro pra chegar lá! Não literalmente.
Agora vai uma coisa que me falaram, e que é a mais pura verdade!

CONHECIMENTO É O ÚNICO BEM QUE NINGUÉM PODE LHE TIRAR

A ignorância me fazia muito feliz, no sentido de que, antes de saber essas coisas que listei aqui eu era feliz sonhando com o meu sucesso arrebatador e imediato! Saber que estudar era só a pontinha do iceberg foi frustrante, mas me reconciliar com o conhecimento adquirido e com a vida que encontrei foi um alívio!

Espero que tenham gostado do texto… Se você descobriu alguma outra coisa, sobre a importância de estudar, que ninguém nunca te falou, deixe aqui nos comentários! Compartilhe comigo sua descoberta!

Bjbjbj e até a próxima!